Vídeo: Menina de 9 anos mata instrutor de tiro com metralhadora acidentalmente

O instrutor de tiros Charles Vacca que foi vitimado por uma descarga de metralhadora Uzi disparada acidentalmente por "aluna" de... 9 anos.

O vídeo com o acidente foi divulgado pela polícia e mostra a menina com um rabo de cavalo e usando shorts rosa sendo instruída por Vacca. A menina chega a efetuar o primeiro disparo e pode-se perceber que o instrutor em momento algum firma a mão da criança para assumir o controle do posicionamento da arma apóso disparo. Após o primeiro tiro vem o descontrole fatal.


Assista ao vídeo, que por motivos óbvios não mostra o tiro fatal



Scarmardo, gerente do campo de treinamento de tiros, disse à NBC News que "a prática na maioria dos campos da região é autorizada para crianças a partir de oito anos de idade e com a supervisão dos pais". Descrevendo Vacca como um "grande cara, com um grande senso de humor", Scarmardo disse ter certeza que a fatalidade foi um acidente raro, pois o instrutor era "muito consciente e muito profissional".



Ronald Scott, um especialista em segurança de armas de fogo disse algo bastante óbvio que evidentemente era para ser de conhecimento de um instrutor de tiros dito experiente, já que até mesmo um leigo  tem consciência disso: "Não se pode dar a uma garota de nove anos de idade uma submetralhadora Uzi e esperar que ela controle essa arma tão poderosa. Foi uma irresponsabilidade”.

O stand de tiro Last Stop costuma realizar o ‘Burgers and bullets day” (dia dos hambúrgueres e balas, em tradução literal). Neste dia, o cliente que comprar um determinado lanche do menu pode escolher uma entre vinte armas automáticas para atirar.

A menina teve sua identidade preservada e passará por um acompanhamento psicológico para tratar do trauma provocado pelo acidente.



PT quer proibir o uso de bíblia na recuperação de drogados

Será verdade a noticia que tem corrido no Facebook através de um blog que afirma categoricamente que o PT está fechando o cerco em atividades cristãs sobre os drogados?

Trata-se de uma meia verdade, bem longe de ser a verdade dita. 

Tudo começou quando o senador Magno Malta (PR-ES) resolveu usar seu espaço no Plenário para denunciar a decisão do Conselho Nacional de Políticas Sobre Drogas (CONAD) que quer impedir centros de recuperação de incluir religião no tratamento de usuários de drogas.

Em outras palavras, as instituições religiosas terão que se comprometer a não forçar os pacientes a aderirem a fé para continuarem o tratamento.
O secretário nacional de Políticas sobre Drogas, Vitore Maximiano, confirmou esta informação. “A pessoa não pode ser compelida a aderir a uma fé. Ela pode seguir o tratamento sem esse componente”, disse ele.

Baseando-se nisso começou a circular a seguinte foto divulgada por um blog.



Como visto acima, a decisão polêmica nada tem a ver com o PT e sim uma decisão do CONAD

O senador Magno Malta, que sustenta um centro de tratamento no estado Espírito Santo há 35 anos, ficou inconformado com a resolução principalmente quando o texto diz que o Governo Federal destina 85 milhões por ano para auxiliar essas entidades.
“Os meus internos comem da minha música, dos meus direitos autorais”, afirmou o senador que controla o projeto Bem Viver recuperando milhares de usuários de drogas em mais de três décadas.

É preciso deixar claro que o CONAD, não é do PT. Na verdade ele  é um órgão da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (SENAD) que por sua vez é subordinada ao Ministério da Justiça. Veja quem compõe o CONAD:

São membros do CONAD, com direito a voto:

I - o Ministro de Estado da Justiça , que o presidirá; 
II - o Secretário Nacional de Políticas sobre Drogas; 
III - um representante da área técnica da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, indicado pelo Secretário; 
IV - representantes dos seguintes órgãos, indicados pelos seus respectivos titulares: 

a) um da Secretaria Especial dos Diretos Humanos da Presidência da República; 
b) um do Ministério da Educação; 
c) um do Ministério da Defesa; 
d) um do Ministério das Relações Exteriores; 
 e)um do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome; 
f) dois do Ministério da Saúde, sendo um da Agência Nacional de Vigilância Sanitária; 
g) dois do Ministério da Justiça, sendo um do Departamento de Polícia Federal e um da Secretaria Nacional de Segurança Pública; 
h) dois do Ministério da Fazenda, sendo um da Secretaria da Receita Federal e um do Conselho de Controle de Atividades Financeiras; 

V - um representante dos Conselhos Estaduais de Entorpecentes ou Antidrogas, indicado pelo Presidente do CONAD; 

VI - representantes de organizações, instituições ou entidades nacionais da sociedade civil: 
a) um jurista, de comprovada experiência em assuntos de drogas, indicado pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil - OAB - Federal;
b) um médico, de comprovada experiência e atuação na área de drogas, indicado pelo Conselho Federal de Medicina - CFM; 
c) um psicólogo, de comprovada experiência voltada para a questão de drogas, indicado pelo Conselho Federal de Psicologia - CFP; 
d) um assistente social, de comprovada experiência voltada para a questão de drogas, indicado pelo Conselho Federal de Serviço Social - CFESS; 
e) um enfermeiro, de comprovada experiência e atuação na área de drogas, indicado pelo Conselho Federal de Enfermagem - COFEN; 
f) um educador, com comprovada experiência na prevenção do uso de drogas na escola, indicado pelo Conselho Federal de Educação - CFE; 
g) um cientista, com comprovada produção científica na área de drogas, indicado pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência - SBPC; 
h) um estudante indicado pela União Nacional dos Estudantes - UNE; 
VII - profissionais ou especialistas, de manifesta sensibilidade na questão das drogas, indicados pelo Presidente do CONAD: 
a) um de imprensa, de projeção nacional; 
b) um antropólogo; 
c) um do meio artístico, de projeção nacional; e 
d) dois de organizações do Terceiro Setor, de abrangência nacional, de comprovada atuação na área de redução da demanda de drogas. 

Fonte: DECRETO Nº 5.912, DE 27 DE SETEMBRO DE 2006.



Mas a decisão tomada é bastante polêmica, já que não atinge tão somente as casas sem ligações religiosas. O que a lei quer fazer, é impedir que igrejas que tenham programas de combate a drogas e que recebam verbas Federais, não imponham o uso de seguir seus preceitos religiosos para seguirem os tratamentos. Aí fica difícil



.

Perigo de se reutilizar garrafas descartáveis para guardar água

Se você costuma armazenar água em garrafas recicláveis, saiba que pode estar colocando em riscos a sua saúde, ou até mesmo já estar sofrendo com os efeitos danosos da ingestão de bactérias e outros matérias que se soltam das referidas garrafas, principalmente as PET, que são derivadas do petróleo.

Existem 2 grandes problemas na utilização dessas garrafas; Liberação de toxinas e proliferação de bactérias. Poucas pessoas possuem o hábito de lavar as garrafas plásticas quando termina a água nela contida. O pensamento comum é; Ora, se só tem água, então está limpa, certo? Errado.



A emissora KLTV examinou níveis de bactérias em garrafas d’água usadas por uma semana sem serem lavadas. As culturas bacterianas foram tiradas do gargalo e boca das garrafas. Resultado: “Em todas as garrafas havia muitas bactérias do tipo que podem fazer você adoecer gravemente, quase como uma intoxicação alimentar”, disse à emissora o médico Richard Wallace, do Centro de Saúde da Universidade do Texas. “Podem provocar náuseas, vômito, diarreia. Basicamente o pior vômito de sua vida.”

Quanto mais detalhes protuberantes e relevos internos possui uma garrafa, maior é a chance de bactérias se alojarem e ficarem encrustadas, formando colônias que tanto podem ser visíveis na forma de pequeno lodos, quanto invisíveis.

Lavar as garrafas periodicamente ( use uma escova de lavar mamadeira para isso) é extremamente importante, mas não suficiente. Essas garrafas não foram feitas para serem reutilizadas diversas vezes, a bem da verdade, o seu uso é quase restrito para uma vez, não devendo ser reutilizadas. Isso porque com o tempo elas vão amassando e adquirindo arranhaduras que soltam substancias nocivas que podem causar doenças hormonais perigosas, com riscos de diabetes e hipertensão ( estudos não conclusivo).

Resumindo, você pode guardar sua agua nas garrafas recicláveis, mas lembre-se de lava-las sempre e de jogar fora periodicamente, evitando ter garrafas "velhas". Procure usar material menos lesivos a saúde, como o Vidro, mas não se esqueça de lavar periodicamente.





Bombeiros são eletrocutados durante desafio do balde de gelo

Essa brincadeira do desafio do balde de gelo parece que está ultrapassando o limite do bom senso. Mas não é para menos, afinal, mais que ajudar na arrecadação de uma campanha, as pessoas parecem estar buscando aparecer e se autopromover.

Vejam só a que ponto isso está chegando. Dois bombeiros de Campbellsville (Kentucky, EUA) foram eletrocutados ao ajudarem estudantes e integrantes da banda da Campbellsville University a completarem o desafio do balde de gelo.

A ideia de jerico dos caras foi dar um banho de agua gelada do alto da escada magirus de um caminhão grupo de estudantes e integrantes da banda da Campbellsville University. Quando os bombeiros se aproximaram demais de um equipamento de alta voltagem da rede elétrica, ocorreu uma forte descarga, que os arremessou contra colegas que se encontravam no caminhão. 


Os dois bombeiros que estavam na extremidade da escada, identificados como Simon Quinn, de 22 anos, e Tony Grider, de 41, tiveram várias queimaduras e estão internados em estado grave em hospital universitário. Outros dois socorristas - Steve Marrs, de 37 anos, e Alex Johnson, de 28, também ficaram feridos, mas sem gravidade. Eles foram liberados.

Azeites: extravirgens só no rótulo

A PROTESTE Associação dos Consumidores  testou 19 marcas de azeites extravirgens e constatou que, 7 são virgens e 4 têm indícios de fraude contra o consumidor, já que pelos padrões da lei, não podem ser considerados azeites. 

Se você costuma optar pelos azeites extravirgens por acreditar que eles sejam mais puros, saborosos e saudáveis, é melhor tomar cuidado, pois você pode estar sendo enganado.

Das marcas de azeites testadas, boa parte dos que se dizem "extravirgens", na verdade, não passa de "virgens" e alguns são até "lampantes".

A PROTESTE já realizou quatro testes com esse produto, e, este último realizado em Dezembro de 2013,  foi o que teve pior resultado, com o maior número de fraudes contra o consumidor.

Foi verificado se havia produtos adulterados, ou seja, comercializados fora das especificações estabelecidas por lei. E, também que preço e renome nem sempre são sinônimos de maior qualidade. O melhor do teste foi, de fato, o que custa mais caro entre os testados. Porém, a avaliação mostra que há outros produtos de boa qualidade que custam bem menos.

A análise sensorial foi feita em laboratório reconhecido pelo Conselho Oleico Internacional (COI). Eles avaliaram a qualidade das amostras quanto ao aroma, à textura e ao sabor de acordo com parâmetros técnicos. Segundo a legislação, em azeites extravirgens não podem ser encontrados defeitos na análise sensorial.

Foram analisados diversos parâmetros físico-químicos para detectar possíveis fraudes: 

-Presença de óleos refinados; 
-Adição de óleos obtidos por extração com solventes; 
-Adição e identificação de outros óleos e gorduras; 
-Adição de outras gorduras vegetais;


Na análise sensorial, apenas oito marcas tinham qualidade de azeite extravirgem de acordo com os especialistas. Entre as outras, sete alcançaram defeitos que, pela legislação, as caracterizavam como azeites virgens. São elas: 

-Borges
-Carbonell
-Beirão
-Gallo
-La Espanhola
-Pramesa
-Serrata

As quatro marcas com problemas de fraude foram também consideradas, pela análise sensorial, como azeites lampantes. São elas: 

-Tradição
-Quinta da Aldeia
-Figueira da Foz 
-Vila Real

Apenas 8 PASSARAM no testes e  apresentaram qualidade de extravirgem de fato.

-Olivas do Sul, 
-Carrefour, 
-Cardeal, 
-Cocinero, 
-Andorinha, 
-La Violetera, 
-Vila Flor, 
-Qualitá

As propriedades antioxidantes do azeite de oliva são o principal atrativo do produto, devido ao efeito benéfico à saúde. Mas para que o azeite mantenha suas características, é importante que ele não seja misturado a outras substâncias. Os quatro produtos declassificados pela entidade são, na verdade, uma mistura de óleos refinados, com adição de outros óleos e gorduras. Em diversos parâmetros de análise, essas marcas apresentaram valores que não estão de acordo com a legislação vigente. Os testes realizados indicaram que os produtos não só apresentam falta de qualidade, como também apontaram a adição de óleos de sementes de oleaginosas, o que caracteriza a fraude.

Outros sete não chegam a cometer fraude como esses, mas também não podem ser vendidos como extravirgens. A entidade ressalta que o consumidor paga mais caro, acreditando estar comprando o melhor tipo de azeite e leva para casa um produto de qualidade inferior.

É considerado fraude o produto vendido fora das especificações estabelecidas por lei. Para as análises, foram considerados parâmetros físico-químicos para detectar possíveis adulterações: espectrofotometria (presença de óleos refinados); quantidade de ceras, estigmastadieno, eritrodiol e uvaol (adição de óleos obtidos por extração com solventes); composição em ácidos graxos e esteróis (adição e identificação de outros óleos e gorduras); isômeros transoleicos, translinoleicos, translinolênicos e ECN42 (adição de outras gorduras vegetais).