Vídeo do grupo Porta dos Fundos pode ser censurado

By | 00:20 Leave a Comment
Um vídeo postado pelo grupo de humor "Porta dos Fundos" está sendo processado por um cidadão de nome Anderson Alves que se sentiu ofendido com o seu conteúdo. De acordo com o tal cidadão, o vídeo é uma ofensa a moral e os bons costumes. 

Anderson fala que o vídeo é um atentado à moral e aos bons costumes e acha que ele deveria ser liberado só pra maiores de 18 anos por ser um perigo pras crianças devido ao conteúdo “apelativo” e de “humor baixo”.  “Não quero que meu sobrinho entre em uma sala e pergunte, ‘A senhora aceita rola? O Youtube poderia pedir à pessoa que se logasse no site para assistir”, diz ele. “Não sou nenhum puritano, mas o Brasil está perdendo o bom senso. Uma criança repete tudo o que vê e ouve.”, completa.


Para tentar retirar o vídeo do ar o ofendido, entrou com uma ação na promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos do Consumidor em Brasília. Leonardo Bessa, promotor da Justiça de Defesa do Consumidor, encaminhou a reclamação à Promotoria de Justiça da Infância e do Adolescente, pois a ação não seria da alçada da Defesa do Consumidor e por achar que existem coisas mais importantes para o Ministério Publico resolver.

Antes de tentar a "sorte" no M.P. Anderson tentou retirar o vídeo do Youtube, mas a Google se negou pois o vídeo não fere nenhum dos termos de uso do Youtube.

Assista ao vídeo abaixo e tire suas conclusões:


Muitos humoristas estão preferindo postar videos na internet, exatamente para poderem ter maior liberdade de expressão, e fazer o humor politicamente incorreto sem cair na censura das emissoras de televisões. Claro que com maior liberdade de expressão é de se esperar que algumas piadas  são incrementadas com palavras de baixo calão ou de duplos sentidos. Se a justiça der ganho de causa ao Anderson, estará se abrindo um caminho de censura a quase todo conteúdo da internet. 


Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Os comentários são moderados, isso significa que ao clicar em enviar, eles não são publicados imediatamente, e sim após serem analisados.