Feto dado como morto no útero completa 1 ano de vida

By | 15:48 Leave a Comment
Um caso  ocorrido no ano passado completa 1 ano de vida, e causa polemicas quanto a eficácia de certos exames, e mesmo decisões prematuras em relação a decisão de se abortar um feto dado como morto.


A Britânica Alex Jones estava grávida de 6 meses, quando recebeu do médicos a triste noticia enviada pelo exame de Ultrassom: Os batimentos cardíacos do feto não foram detectados pelo exame, e o feto foi dado como morto, sendo inclusive a mãe orientada a dar início aos preparativos para o funeral.


Alex Jones foi levada para o Prince Charles Hospital para ter a criança. Para surpresa de todos, a criança ao nascer mexeu seu pés, mãos e soltou um leve gemido. Imediatamente foi colocada em uma incubadora. Pesando apenas 800 gramas,  teve seus batimentos cardíacos monitorados diariamente , foi alimentado por sondas e lutou contra uma série de infecções, incluindo-se um coágulo cerebral.


O bebê que recebeu o nome de Cohan, teve uma grande festa no Hospital ao completar seus 100 dias de vida fora do útero materno.
Agora, com 1 ano de vida, Cohan é uma criança feliz e sadia.


Feto dado como morto nasce com vida e completa 1 ano de idade
Cohan, no meio, completa 1 ano de vida, mesmo tendo sido dado como morto aos 6 meses ainda no útero de sua mãe
A mãe da criança não culpa ninguém, quer saber somente de ser feliz ao lado de seu filho, ela acredita que os batimentos cardíacos da criança eram tão fracos que eram incapazes de serem detectados pelos exames.


Fica a dúvida, será que a criança realmente ressuscitou ao vir "à luz"? Os médicos erraram ao retirar a criança prematuramente do útero de sua mãe?  A criança seria capaz de sobreviver mais 3 meses dentro do útero e nascer sem complicações?


´Para alguns, um verdadeiro milagre, para outros um erro médico.


A noticia é do Daily Mail e pode ser lida na integra em inglês, aqui.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Os comentários são moderados, isso significa que ao clicar em enviar, eles não são publicados imediatamente, e sim após serem analisados.